Mais "moinhos de vento" e nem mais uma mini-hídrica

Pelo anterior Governo foi autorizada a implementação e concessão de uma mini-hídrica no rio Alva, entre Côja e Secarias, com uma potência instalada de 2 Megawatts
A obra é "irmã gémea" da que existe em Avô, à revelia da vontade da maioria do povo. Conhecidos os malefícios ambientais, agora, como antes, é altura de cada um de nós manifestar o seu repúdio:

- " BASTA, não, não quero que continuem a assassinar o nosso rio"!

Estão "na moda" os "novos moinhos de vento" que se vêm recortados no horizonte. Dom Quixote, se fosse vivo - e Miguel de Cervantes também! - era bem capaz de os "guerrear", ou talvez não... se soubesse que apenas UM destes moinhos produz, no mínimo, igual potência à da mini-hídrica que querem construir no rio Alva, a seguir a Côja!
Venham mais "moinhos", isso sim, e deixe-se o rio no sossego dos seus segredos milenares, a caminho do Mondego, que também está sujeito a crimes semelhantes - ele e o Ceira!


Comentários

Conceição disse…
Entao e os senhores gestores nao fazem contas???? Isto para nao falar do impacto ambiental!!!
Parece-me que querem, alem de devastar a natureza, construir mais um buraco para juntar ao da Madeira...