Mensagens

A mostrar mensagens de Dezembro, 2011

Por causa do frio...

Fora de portas, a noite fria do Natal não convidou a saídas, nem para cumprir a tradição de ficar à conversa em redor do “cepo”, no largo da escola. Possivelmente, o frio, arrefeceu a vontade da “malta” e ninguém teve apetite para carregar "combustível" suficiente; houve “cepo”, sim, mas ardeu num ápice… Culpa-se, ainda, o frio pela ausência dos nossos conterrâneos ausentes. Os que vieram, ficaram em bom recato, junto às lareiras – mal se deixaram ver, nem à hora da bica, depois do almoço, logo ontem, que foi domingo…

Plátanos: é pena que não “falem”…

Imagem
Terei os meus motivos para gostar do Outono, embora os desconheça. Talvez as folhas caducas exerçam sobre a minha sensibilidade algum efeito estético – de outro modo, como poderei explicar a minha atracção pelas folhas amarelecidas? Se o chão está atapetado com exemplares do tamanho da palma da minha mão, ou maiores, gosto de os pisar sem pressas, atento à surpresa de um encontro com o mais bonito. Difícil é a escolha - são todos agradáveis à vista! Os passeios solitários sobre as folhas dos plátanos descansam-me o pensamento das coisas menos agradáveis; agora, preocupo-me com o futuro da aldeia onde nasci. Ainda que reconheça que a minha freguesia estagnou por razões que me dispenso de esmiuçar, tenho alguma dificuldade em aceitar as regras que, segundo o “Documento Verde”, lhe vão retirar o seu estatuto autárquico. Estou junto à ponte que atravessa o rio Alva. Do lado de lá, começa outra freguesia, de onde nos separámos há oitenta e oito anos. A minha aldeia, desde 1888, ano da inau…