Agora, o Alva vai apressado


O "meu" rio vai com pressa de chegar à foz e alarga as fronteiras do território que lhe pertence. Na imagem, há sinais de duas  cheias, paus e folhas amontoadas, como se fossem trilhos conhecidos de outros outonos e agora revividos pela força do pensamento  de quem tem do Alva a memória de outras barrigas, maiores do que estes sinais na erva molhada; tempos houve em que as águas rasgavam as margens - ficavam  os sulcos como sinais  de terra lavrada...

Comentários

José Fernandes disse…
...o nosso Urtigal, sempre lindo. De Verão ou de Inverno, com ou sem Sol é uma maravilha da Natureza.
redonda disse…
A fotografia parece ter saído de um conto de fadas.
JottaElle disse…
É sempre um enorme prazer...ler tudo o que escreve! Como as minhas "férias grandes" na adolescência, foram passadas em Avô, linda Villa de meus antepassados e, o elemento água, foi sempre um fascínio...com o belo Alva, que tão bem caracteriza nos seus textos, permita-me que divulgue o que escreve...nos Blogs em que sou colaborador. Grato pela atenção, apresento as minhas cordiais saudações e os votos de um BOM ANO NOVO! Parabéns ilustre Senhor!!!