"Pinturas"

A aldeia  envelhece com as pessoas que guardam memórias das casas em ruinas; à minha volta são três,   paredes nuas, portas  e janelas sem guarnição, portões de ferro carcomidos pelo tempo. Com  paciência e o "segredo" da Canon, "pintei" as reliquias das casas da Ludovina, do "ti Zé" Simão e  da "dona" Aninhas.

Comentários

Anónimo disse…
Ti Zé Simão, era meu tio.
Fátima Ribeiro disse…
Olá Carlos.
Passei por este blog e apreciei.
Parabéns.
Um beijo