segunda-feira, 19 de janeiro de 2009

Pássaros sem norte

Da minha varanda: nevoeiro numa manhã de Janeiro.

2 comentários:

H.M. disse...

A cor da bruma tem destes mistérios....
Como o pulsar do coração, paira por algum tempo sobre as copas das árvores , para se dissipar por completo ao canto matinal de uma ave .

Parabéns pelo foto e pelo simbolismo que ela encerra.

Parapeito disse...

...e que bela varanda...quando se abre...acontece o mistério :)