....................................................................................................

sábado, 9 de abril de 2022

"O Amigo do Povo"



 peso dos anos tem a importância e o valor do trajecto que percorremos

O carrego pode ser pesado se a vida foi madrasta, ou leve se a fortuna teve sorrisos de boa vizinhança. Em qualquer dos casos, a memória funciona como arquivo de todas as coisas, boas e más; por vezes, de forma voluntária, recordamos outros tempos, perto ou longe do momento presente, ou então é o acaso (?) que  faz lembrar o passado.
Casualmente, hoje, encontrei na mesa de um bar um jornalinho que, confesso, já não folheava  desde os tempos em que ia à Missa, aos domingos. Chama-se O AMIGO DO POVO, é editado pela Diocese de Coimbra, e tem noventa anos de vida !
São duas folhas "A4", de conteúdo evangelizador, naturalmente, e é informativo quanto baste.
Tinha (e tem!) uma secção que lia com enlevo : "Ao calor da fogueira" - diálogos simples e moralistas, como o da edição 4280, do dia 11 deste mês de Natal.
De tanto querer saber (e pouco sei!...) tornei-me agnóstico, mas este jornalinho transportou-me à infância na minha aldeia, ao padre Januário, às brincadeiras do pião e aos futebóis no largo da escola, às reguadas da professora Georgina e aos seus preciosos ensinamentos, à primeira namoradinha, ao Peixoto (a quem sovei de raiva, certa tarde, por causa da Teresa que era miúda de alguma beleza e sorriso brejeiro), aos passarinhos presos nas armadilhas, aos mergulhos no rio, ao Américo Cigarrada ( ... os peixes que agarrava à mão, só para me satisfazer os desejos!...), à avó Virgínia, à mãe Natália...
O AMIGO DO POVO era o meu jornal de domingo.

 (Publicado no "RiTuAL" no dia 16 de dezembro de 2005)

sexta-feira, 8 de abril de 2022

Barril de Alva - a procissão



…Quando a procissão atravessava a quinta da dona Berta (ou das Mimosas!).
Existem dúvidas se a imagem regista um momento das festividades em honra de Santa Maria Madalena, no regresso à capela, no Casal Cimeiro, ou da procissão de Santo Aleixo, do Casal do Meio. Creio ser plausível optar pela segunda hipótese.


sexta-feira, 1 de abril de 2022

quinta-feira, 23 de dezembro de 2021

"Centro Comercial do Barril"


 "CENTRO COMERCIAL DO BARRIL" - ainda o lugar não tinha alcançado a sua maioridade autárquica. O espaço comercial passou a designar-se "Grandes Armazêns do Chiado" depois da independência administrativa.

quinta-feira, 23 de setembro de 2021

É pertinente “avivar memórias”

 


O executivo da Junta da União de Freguesias de Coja e Barril de Alva, que terminou o mandato 2013/2017, era constituído por Luís Moura, presidente, Carlos Ramos, tesoureiro, e Isabel Carvalho, secretária.
Para que não restem dúvidas sobre a sua gestão, no que ao Barril de Alva diz respeito,
“avivam-se memórias” de algumas das obras executadas com verbas próprias (da Junta):

- Casa do Gens – corte de parte do edifício para benefício da área de circulação da rua União e Progresso (alargamento +/- 1,5m), e construção do muro da entrada da propriedade.
- Ponte - abertura de valas e colocação de manilhas para encaminhamento das águas pluviais,
- Urtigal – desbaste de mimosas em 200m2, construção de acessos à Zona de Lazer e plantação de árvores específicas,
- Urtigal – construção de WCs.
- Urtigal – requalificação da Zona de Lazer, deixando à vista restos originais do antigo lagar,
- Parque para Autocaravanas – abertura de valas e instalação de energia elétrica e rede de águas.
- Parque de merendas AIACO – construção de acessos para utilizadores de cadeiras de rodas,
- Restaurante – reforma total das instalações de gás e eletricidade,
- Restaurante – aquisição de mobiliário para a cozinha,
- Restaurante - construção de alpendre para utilizadores / fumadores,
- Pavimentação de ruas Luís Gouveia e Alberto Simões,
- Cemitério – informatização e regularização do cadastro,
- Escolinha Caracol – apoio permanente (oferta dos consumos de água, luz, aquecimento e manutenção da caldeira),
- Associação Filarmónica – apoio financeiro institucional e oferta de tintas para pinturas interiores (salão e bar),
- Associação Filarmónica – cedência gratuita do apartamento para uso do Maestro (incluindo água e luz).
- Pintura de muros e coreto (apoio da casal Arnold e Marion ter Horst),
- Sinalização rodoviária – construção do original painel de “BOAS-VINDAS” na berma da estrada Coja / Barril de Alva, manutenção e substituição pontual de sinais específicos.

Acrescente-se o cumprimento das competências da Junta da Freguesia:
- Limpeza e manutenção das valetas e arruamentos
- Manutenção dos espaços verdes
- Manutenção e limpeza dos WCs públicos (3)
. Manutenção e limpeza do cemitério
- Recolha semanal do lixo em zonas adjacentes à área urbana
- Recolha pontual de “monos” junto da população (mobiliário e eletrodomésticos)
- Reparação de vedações em espaços públicos
… etcétera, etcétera…

segunda-feira, 13 de setembro de 2021

O obelisco

Estamos em junho de 1965.
A União e Progresso do Barril de Alva, UPBA, deseja erguer um obelisco no largo da escola e precisa da autorização do ministro da Educação para levar por diante as suas intenções, depois do projeto ter sido aprovado pela Câmara Municipal de Arganil.
No dia 13 daquele mês de junho segue a carta protocolar, onde muito respeitosamente “… vêm à presença de V-Exª. solicitar a autorização necessária para que esta coletividade possa homenagear os beneméritos locais, muito especialmente aqueles que construíram o edifício escolar a suas expensas e o entregaram ao Estado mediante escritura de doação em 8 de junho de 1913…”. Junta-se a planta do obelisco e a indicação de que a sua inauguração “se pretende inserir no programa do 30º aniversário da UPBA”.
O ofício da Direção do Distrito de Escolar de Coimbra, datado de 14 de setembro do mesmo ano, informa que “… por despacho de 8 do corrente foi autorizada a implantação do obelisco…”, e acrescenta, “preto no branco”:
- A Delegação para as Obras de Construção de Escolas Primárias emite o parecer "de que a parcela triangular que será subtraída ao logradouro para aquele efeito pode ser ajardinada, com o que beneficiará todo o conjunto”.
Entre outras, sobre a “Estética do Belo”, prefiro a definição (resumida) de São Tomás de Aquino: “a coisa completa”, bonita, perfeita
… como um jardim “arrumadinho”, com ou sem obelisco